Fim de Ciclo

A expressão "fim de ciclo" tem méritos no quanto é capaz de amansar o drama: se tudo se renova e se os fins fazem parte da mesma ordem dos começos, a sagração dos "fins de ciclo" requer o elementar talento para acatar os desígnios da existência e a para entrever a ventura do que aí vem. Naturalmente que esse talento falha para explicar o que, aparentemente, termina sem mais. Pensemos na morte e no amor finado sem redenção à vista. Mas para os profetas dos fins de ciclo, os profetas das pequenas coisas, pois delas nos convencem, nada termina sem mais: tudo faz parte de uma lógica mais vasta que somos incapazes de perceber pela estreiteza do olhar, pela falta de paciência ou pela renúncia à esperança. Não me convencem. Tanto talento só pode assustar.



<< Home