Conchita Wurst













Quem deplora a notoriedade de Conchita Wurst, alegando um retorno aos freak shows, estabelece tortuoso paralelo mal disfarçando homofobia ou - na melhor das hipóteses - conservadorismo estético. 'Freak' é uma cultura capaz de lacerar a diferença por acreditar tão completamente nos binómios constitutivos de identidades discretas: os binómios que nos dizem que roupa vestir e que pêlo rapar. Conchita tem barba, mas também tem uma ideia política acerca do antiquíssimo circo do preconceitos que sempre se amontoa à volta do espectáculo da diferença



<< Home