Sent mail

Na troca de e-mails profissionais entre desconhecidos, a formalidade tende a decair a cada envio. Qual ordem natural das coisas, o "Ex.mo" passa a "Caro", os "melhores cumprimentos" passam a "abraço" (e por aí adiante).

 No fundo, a formalidade é utilizada como um bluff na expectativa que ninguém devolva tão exaltada reverência. Chamemos-lhe o que quisermos ('farsa colectiva', 'pose institucional', 'timidez burocrática', 'anacronismo hierarquizante'), permanece o facto: já ninguém tem jogo para isto.

Boston, Bagdad

Lives are supported and maintained differently, and there are radically different ways in which human physical vulnerability is distributed across the globe. Certain lives will be highly protected, and the abrogation of their claims to sanctity will be sufficient to mobilize the forces of war. Other lives will not find such fast and furious support and will not even qualify as "grievable." Judith Butler, Precarious Life

Por um mínimo de proporcionalidade no devido lamento das vítimas, lembro que hoje morreram mais de 30 pessoas no Iraque após um surto de ataques bombistas. Repito, hoje. Repito, pessoas ("apesar" de não serem americanos ou "ocidentais").  Ondas de choque? Nenhumas. São as vidas dos "outros".



As vírgulas fazem-me mole

Fico sinceramente comovido quando dou por mim a apagar um post esforçado - vírgulas no sítio, gralhas aparadas, insulto estilizado - só porque, segundos antes de o publicar, percebo que afinal já não concordo comigo.