Patricia Neal (a voz)


Hud, Martin Ritt, 1963

Lara nunca duvidou

A memória selectiva é a doença infantil do romantismo.

Etiquetas:


Adeus e Obrigado

"O amor é tudo que ainda podemos trair" John le Carré
 Villas-Boas

"All mild men are vicious"

A Face in the Crowd (1957)





Separação do Corpo

Corpo, corpo, porque me abandonaste?
«Tomai, comei», pois sim, mas quando
a química não chega para adormecer
a que divindades nos acolheremos
senão àquelas últimas do passado soterradas
sob tanta chuva ácida e tanta História,
tanta Psicologia e tanta Antropologia?
A memória, sem o corpo, não cintila nem exalta
e, sem ela, o corpo é incapaz de nudez
e de amor. Agora podemos enfim calar-nos
sem temer a solidão nem a culpa
porque já não há tais palavras. 

Separação do Corpo, Manuel António Pina

A Árvore da Vida


Terrence Malick é um génio que aproveitou A árvore da Vida para colocar no seu currículo a apetência para filmar missas e para fazer uns biscates para o canal da National Geographic (ah, a partir de agora screensavers também são com ele).

O Seminarista


O crescente privilégio do enredo policial em desfavor da personagem que começa por nos cativar - o ex-seminarista que gosta, por esta ordem, de "foder, ler e ver DVDs" - faz com o livro perca interesse à medida que ganha ritmo e suspense. Em resumo: a sofreguidão do guionista foi matando o romancista que há em Rubem Fonseca.

Ilhas sem árvores


Islândia, Maio, 2011.

Office 2007

‎"O processo não pode aceder ao ficheiro porque está a ser usado por outro processo" Quando outros incitariam a uma ménage à trois, o Office 2007 mostra a sua matriz conservadora.