Notas islandesas

Por muito que os corpos se adaptem ao clima, sobretudo os corpos aclimatizados ao longo de gerações, os nativos de condições metereológicas extremas sofrem pouco menos do que os visitantes de circunstância. O que aparta uns e outros, no essencial, é a arte da premeditação: a premeditação com que os acostumados preparam o embate, a premeditação com que o escolhem e, sobretudo, a premeditação informada com que prefiguram a dureza do embate a partir da experiência. No calor dos trópicos como no frio glaciar, somos surpreendidos pela partilha com os locais de um desconforto que julgaríamos marcar as fronteiras na nossa exterioridade. Na verdade essa exterioridade só existe na dúvida: a dúvida do visitante acerca daquilo que pode aguentar, a certeza do nativo de que já passou por isto. A assertividade é uma adaptação a condições adversas. Assim, o homem resoluto e o homem razoável distinguem-se pelo modo como digerem as intempéries do passado: o homem resoluto é um ser disponível para a morte, conquanto lhe conhece as fronteiras, o homem razoável desconfia da razoabilidade de estar vivo.




<< Home