Do absurdo

"Lara Logan, jornalista do “60 Minutos”, foi sexualmente agredida no Egipto."
 O facto de seguir Lara Logan há anos ajuda a pessoalizar, inflamando, a raiva sentida pelo que tantas vezes acontece às mulheres por esse mundo fora. O meu único desejo é que Lara Logan resista, que volte à sua profissão e à vida pública. E que a indignação pela violência patriarcal assim expressa alhures, em termos inomináveis, nos ajude a denunciar, também,  a trivial perfídia que perpassa nas nossas vizinhanças.

Comments:

Enviar um comentário

Comentários



<< Home