Urinol


Nunca me tinha deparado com tamanho desconcerto: um urinol com tampa. Igual a café descafeinado, cerveja sem álcool: uma variação que aniquila a original razão de ser.

Comments:
será que é necessário ficar a segurar na tampa?
 
:)
 
Beeem... mandei instalar um urinol com tampa na minha casa de banho. Longa história: nas sanitas das famílias alemãs os homens têm de urinar sentados (isto é um aviso à navegação). O meu marido não gosta dessas alemãezices, e queria um urinol. E eu não queria estar sentada na sanita com o nariz à altura do, bom, enfim, não nos alarguemos em detalhes.
Daí a tampa, e não me parece mal.

Mas já que estamos a falar disso: uma tampa de sanita não o incomoda da mesma maneira? Porque não?
 
Helena, incomoda, à falta de urinóis pertenço àquelas pessoas que considera que a tampa da sanita deve estar sempre levantada como prova de que a atenção masculina providencia que nenhuma gota ta xixi fique no assento.


Mas reitero, os urinóis - sem tampa, sem tampa - constituem o móvel mais anatómico alguma vez inventado.
 
Quase tão anatómico como as árvores. O que me dá uma ideia: na próxima casa, em vez de urinol na casa de banho, hei-de pôr uma árvore no jardim. Ou duas, uma para os homens da casa, outra para as visitas.
(As visitas?! No caso, devia ser "os visitos" - se a outra é presidenta...)
 
Bem verdade, a árvore supera o urinol. Só a árvore.
 
e nas cidades sem árvores, sempre se arranja uma solução:
http://data.lustich.de/bilder/l/24333-mobiles-pissoir.jpg
 
Como se nota, as cidades sem árvores não merecem ser vividas :), ao mínimo descuido...
 

Enviar um comentário

Comentários



<< Home