Ode à automotora da Lousã


Sem o teu torpor, as minhas sestas nunca mais foram a mesma coisa.



<< Home