Validação referencial do tanto que excede o texto

"De onde decorre, a meu ver, a falsidade das afirmações pós-estruturalistas e desconstrucionistas de que "não existe nada fora do texto", de que todo o discurso é um jogo autónomo, rasurando e esvaziando sistematicamente a validação referencial dos seus significados e intenções possíveis. O significado está tão intimamente associado à circunstância, às realidades que percepcionamos (posto que conjecturais e transitórias) quanto o nosso corpo." George Steiner, Errata: revisões de uma vida.



<< Home