That leaving feeling II



Atenção, este ainda magoa mais.

Comments:
:'-(

És mau, Bruno.
 
coloquei este mesmo video no meu proprio meio de comunicação social; neste caso não sei quem é que tem precedencia, o doutor pacheco pereira vai achar isto tudo muito estranho; apanhei o meu no jornal a Marca, mas não consigue ver a que horas é que postaste isto. depois falamos.

maradona
 
PORRADA!

PORRADA!
 
É capaz de ter sido o clube onde ele foi mais feliz.
 
Anónimo, tenho a certeza que fui eu, quando fui lá ao teu meio (para confirmar a qualidade do link) ainda não figurava nada, quando segui o link minutos depois (para confirmar a resistência do link) já tinhas postado. Foste demasiado rápido, pelo que tomo por boa a tese de duas vias diferentes para a descoberta da verdade.
 
Ricardo, não estou a ser mau,eu fiquei simplesmente de rastos com este vídeo.
 
Nuno, ela odiava a imprensa italiana. Penso que terá sido mais feliz no Chelsea e não me surpreendia que tivesse protagonizado semelhante cena com o Drogba. Aqui grande diferença é que a decisão foi dele, ele é que deixa o clube, naquelas lágrimas há algo de uma culpa que inexistia à saída do Chelsea.
 
(...)"ela odiava a imprensa italiana" (...)
ela quem? a mulher dele? (lapso, Bruno?...)
de todo o modo,e apesar de tudo o que possa significar para quem vê, este vídeo não devia existir.
 
Isso é para rir, dizer que foi mais feliz no Inter. Lê entrevistas do man e depois vem cá. Passou o puto do ano todo, do ano todo, a dizer que o PC tinha sido o seu melhor presidente (superando portanto Moratti, no momento em que este era o presidente com quem tinha contrato), que o FCP tinha sido a sua melhor equipa de sempre (que se não fossem questões económicas, teria sido uma equipa para marcar uma época no futebol mundial) e na última semana deu-se ao luxo de indicar como "música preferida" o "Filhos do Dragão" num inquérito, e vem agora um gajo falar do Inter. Haj paciência.

Madjer
 
Madjer, o Mourinho tb é um gajo comum, às vezes deve falar de uma porrada de outras coisas para esconder algumas outras que ele não quer dizer.
 
Ui, a semiótica. Para quem falou de Palermo, para quem disse mais do que uma vez que o FCP nada lhe dizia, as afirmações do último ano talvez queiram dizer alguma coisa. Ninguém o obriga a dizer qual a sua "verdadeira" música preferida, pode "esconder" (para usar o teu termo), mas o facto que indique tal em particular é capaz de ser, sei lá, um sinal. Não do que não quer dizer, mas do que quer dizer.
Madjer nos 23 anos
 
Majder, fiz por merecê-las. :-)

(e ao não dizer em que anos vou, dá logo para perceber que sou bem mais velha)
 
Ai agora temos que dizer a idade? N., avança.
 
não digo. Tu és trafulha e depois mentias.
e não me chames maricas
 
Mentir não mentia, podia é começar a contar noutra data.
 
Alto: os 23 anos a que me refiro não são a minha idade, mas porque no dia em que escrevi o comentário decorriam 23 anos da mítica final de Viena: 27 de Maio de 1987. Infelizmente, sou bem mais velho. Agora sim a semiótica: escrevi "nos" não "aos 23".
 
durezaaa
 

Enviar um comentário

Comentários



<< Home