Save me

Ontem adormeci a pensar em jogadores naturalmente ambidestros. Domingos, Ginola e depois adormeci. Acordei naturalmente revoltado, quer com a naturalização da ambidestria (no limite é um habitus como outro qualquer), quer com o facto de não me lembrar de mais jogadores naturalmente ambidestros. Ajudem-me, sou uma pessoa tendencialmente monomaníaca.


Não engana, dizia

Às vezes é extremamente maçador ter tanta razão tão antes do tempo (estávamos em Junho de 2007 e eu, mesmo com o calor e as solicitações das vizinhas, nomeadamente para fazer pouco barulho a dar toques na sala, apresento os níveis de clarividência que deixei patentes em forma de post). Mais profecias? Dou dois anos para o Sérgio Oliveira ser titular do Porto, 1 ano e meio para o Oceano recusar o desafio de tentar manter o Sporting na Liga Vitalis.

Shame on me

Só ontem fiquei a saber que esta foto foi tirada pela Agnès Varda



Já esta não faço ideia.



Alguns anos depois, releio este livro de Appadurai para perceber, sem surpresa de maior, que o texto está a envelhecer bem. Pelo menos um de nós.

Versões de um mesmo mito

Etiquetas:


6-1

«Um vintém é um vintém, um cretino é um cretino».




Não pode deixar de comover a classe com que Manuel Machado subsume a vã filosofia do sucesso quantificável a um juízo desabridamente moralista. Que o dito tenha surgido na última pergunta da flash interview é um dado a ser considerado na estilística do insulto em apreço. Convenhamos, provavelmente Jorge Jesus não merecia e pouco se lhe terá dado -- depois de mais uma goelada. Mas que se lixe, não é todos os dias que vemos uma personagem de Shakespeare descer do túnel. Num momento histórico em que as goleadas tendem a tornar-se banais, a emoção do espectáculo depende, como nunca, de insultos de rara beleza.

Walter Benjamin

"Com as convulsões da economia de mercado, começamos a apreender os monumentos da burguesia como ruínas, antes de eles realmente se desmoronarem." Walter Benjamin (1892-1949)
O optimismo hegeliano de Walter Benjamin vem-se mostrando baldado. Os monumentos desmoronam-se, terra queimada em derredor é o prato do dia, mas, aparentemente, já não há quem dê pelas ruínas.

Tudo isto é triste

"Eu era mais jogador em termos de drible quando comecei a carreira do que quando a acabei." João Pinto, Pontapé de Saída
João Pinto, explicando como a adaptação aos ritmos do futebol sénior acaba por truncar as possibilidades criativas dos jogadores em favor dos tempos e dos ritmos competitivos impostos na alta roda do futebol europeu. Escuso de explicar como estas declarações são importantes. Nada disto deve servir de prova atenuante ao homicídio perpetrado por Fergusson ao Anderson que há uns anos chegou ao aeroporto de Manchester. A inviabilidade de Quaresma fora do raio de acção do Porto explica-se muito por aqui.
Imagens de Arquivo, este jogador já não existe:


Bíblia II

António Lobo Antunes é hoje entrevistado por Judite Sousa no âmbito da apresentação do seu novo livro. O mínimo que podemos esperar que é confesse, enfim, que foi ele que escreveu a bíblia.

Tempo de vida de uma relação: uma fórmula possível

O tempo que uma relação dura no tempo sucessivo não equivale à pegada que ela deixa, já o sabíamos. É verdade que relações não acontecidas podem deixar uma fundíssima marca sentimental, do mesmo modo relações cheias de impossibilidades e impedimentos podem ser as mais marcantes, nisso se sublinha o modo como o voluntarismo da entrega escarnece os contextos e as "condições de possibilidade". O que me proponho a avaliar não é tanto a pegada sentimental, mas a pegada relacional. Faço-o a partir de algumas variáveis que, na verdade, medem sim a oportunidade de aprofundamento cúmplice de um casal. Trata-se de um work in progress e espero chegar a uma fórmula que pondere mais justamente as variáveis em jogo. Contribuições serão bem vindas.

Assim o tempo de vida de uma relação (TVR) é igual à duração da relação em dias (DR) vezes a razão entre o número de situações que o casal acordou junto (AJ) e o número de situações em que a relação foi decretada finda por um dos amantes (FR).

Tempo Vida Relação= Duração da relação* (Acordar Junto/Fim da Relação)
Ou seja: TVR= DR*(AJ/FR).

O valor obtido só tem significado relativo, isto é, comparativo.

Foto: Doisneau

Estado Social

"O aumento de propinas levou ao afastamento de alunos de famílias com baixos rendimentos.De 1995 a 2005, período em que foi introduzido o modelo de propinas nas universidades, o ensino superior ficou mais elitista. Foi esta a conclusão apresentada por Belmiro Cabrito na sua intervenção no FES 2009, conferência dedicada ao financiamento superior organizada pela Universidade de Lisboa (UL)." Diário Económico

Bíblia

Sinceramente não sei como se consegue falar de Levítico, do Livro de Job e do Evangelho de Marcos como se fossem o mesmo livro. Não sei como é que se consegue falar dos dois Deuses referidos na Bíblia como se fossem o mesmo. Oh sim, o sermão da montanha é só crueldades. Esmiúça, Saramago, esmiúça.

Pequeno subsídio para a pequena tipologia sexual masculina

O Pedro Mexia de volta à melhor forma (à atenção da Benedita Pereira) oferece-nos uma pequena tipologia sexual masculina. Não se deixem enganar, o romântico, o agressivo e o perverso são a mesma pessoa deambulando em círculos. Até à ingenuidade desajeitada se pode voltar.

"Apocalypse: The Second World War"



Um documentário magistral em 6 episódios. Se puderem vejam a versão com locução em inglês: aquela voz não existe.

Em quê que ficamos?


Imagem roubadíssima.

Avulsos

"E quando dou de caras com um "ex" na televisão, a explicar porque é que um candidato (o seu, claro) não ganhou aquela Câmara?
Verifico que:
1 - Está mais gordo.
2 - Está velho.
3 - Está com um aspecto desgastado.
4 - Está do lado dos derrotados.
Então sorrio. É assim que todos os "ex" devem estar. Ou, pelo menos, os que nos magoaram."
Bad Girl, Girls Go

Santana Lopes

As derrotas têm pouco poder de dissuasão em casos como o de Santana Lopes. Mais do que exercer os cargos a que se candidata, Santana Lopes gosta de se ver ao espelho na solenidade que eles conferem, já o sabíamos. Mas se acaso o poder lhe foge - o que tem acontecido e não por acaso - permanece nele o gozo pelo ritual político: pelos debates, pelas sondagens, pelas noites eleitorais e, claro, o gozo pela atenção mediática. Enquanto a democracia lhe oferecer as devidas doses de palanques, câmaras e microfones, não serão as derrotas a demovê-lo. As próximas autárquicas ainda vêm longe e Santana Lopes, obviamente, não vai aguentar tanto tempo sem ir a votos. Sporting, PSD, condomínio: tudo boas hipóteses.


José Eduardo Bettencourt


Ultimamente especializei-me em falar mal do Sporting por razões que o futebol enfaticamente compreende (o próprio Dias Ferreira é capaz de compreender estas coisas). Hoje, na habitual ronda pelos suplementos de cultura de reputados jornais estrangeiros, leio que José Eduardo Bettencourt pôs fim a um longo diferendo, de modo a que a 5 de Maio de 2010 seja finalmente realizado o jogo de homenagem a Iordanov. Alguém dê um beijinho por mim àquele senhor grisalho. E não me digam que não há vitórias morais.

Mélanie

Há momentos em que um blogger tem que saber "delegar com humildade".

Chamada de atenção do zélisonda.


Parece que é hoje. Drinks on the house, querem mais?

Da série: grandes defesas



Casillas ontem, em Sevilha. Repare-se na cara de Xabi Alonso. Em vez de agradecer a Casillas como seria previsível ficou ali murmurar algumas questões existenciais algures entre as saudades da transição defensiva do Liverpool e a manifesta necessidade de abjurar Pepe Reina.

Etiquetas:


Mercedes Sosa 1935-2009


Ciúme

O ciúme convicto teme convictamente o pior, o ciúme por simpatia mais não é de que uma revolta contra a duplicidade de critérios. O ciúme convicto vigia o perigo, o "ciúme simpático" vigia a balança: aquilo que não consegue tirar do outro prato acrescenta no seu. Com o tempo nada os distinguirá.

Avulsos


"Saía todas as noites e bebia o que aparecesse: vinho, whisky, vodka, cerveja, muita cerveja. Apresentava-me todos os dias bêbado. Não dormia com medo de me atrasar, mas depois chegava em condições impróprias, e mandavam-me ir dormir para a enfermaria, enquanto aos jornalistas diziam que tinha tido um problema muscular qualquer" Adriano, Mais Futebol



"(...) vinho, whisky, vodka, cerveja, muita cerveja". É oficial, o pisangabon está em desuso.