A nacionalização da Galp, defendida pelo Bloco de Esquerda (BE), é uma proposta «pré-histórica», disse esta terça-feira o administrador-executivo da petrolífera, Fernando Gomes.

É inteiramente compreensível a ansiedade do ex-ministro com o regresso a um passado que ameace mexer o tacho que há muito lhe foi dado de presente. Eventos como a nomeação de Fernando Gomes para a Galp fazem parte de uma lógica em que muitos gostariam de ver o corolário do progresso, o tal apaziguamento da política sob o capital que marcaria o fim da história (democracia liberal no dizer de alguns). Não é bem saudades do PREC, mas se isso significa correr com tachistas deste calibre, por bondade, venha daí essa pré-história. Um cheirinho, vá.


Comments:

Enviar um comentário

Comentários



<< Home