"A Erotomania, ou loucura amorosa, é grande enfermidade"

Medicina Teológica, 1794:

"O segundo grau (o primeiro é a nostalgia) a que sobe a enfermidade do amor, é a Erotomania, ou aquele amor com que em silêncio se busca a presença do objecto amado, suspira-se em segredo, e quando os amantes se encontram, tratam-se com um respeito singular, mas porque na Cidade e no Campo nada fazem sem relação ao seu dito objecto amado, julgando uma vezes que o estão vendo nas pessoas com quem falam e outras vezes escrevendo seus nomes até sobre as cascas das árvores; já dirigindo-lhe a palavra como se estivessem presentes, já entregando-se a extravagâncias fantásticas, imitando enfim ao valente D. Quixote nas loucuras que lhe sugeria seu amor à sua amada Dulcineia;por isso se chama a este amor Erotomania, enfermidade, ou loucura amorosa.

Há duas espécies nesta enfermidade dos amantes: a primeira, : a produz nos enfermos a tristeza e o retiro; amantes gostam da solidão, fogem da sociedade, e continuamente são afectados de uma doce melancolia; correm às vezes com abundância de seus olhos lágrimas, suas vistas são ternas e apaixonadas, suas posturas, seu falar, seu andar são lânguidos, em uma palavra toao o seu viver é um doce delírio de que gostam suas almas.

A segunda espécie de Erotomania é aquela que produz efeitos mais vivos, onde os enfermos perdem o apetite de comer e dormir, sustentam uma inquietação oculta que os devora, ciúmes que os consomem, mil desejos violentos que os agitam e um fogo oculto que os abrasa, com que as funçôes de seu espírito se alteram bem depressa e os amantes caem então em um delírio frenético, a que sucede o furor e a raiva que os conduzem a precipícios funestos.

...devem pois os Senhores Confessores saber que esta enfermidade ataca principalmente aquelas pessoas que não tendo ainda muito uso do mundo, ou que só o tem, possuem um génio mui dócil e afável em que qualquer objecto faz impressões que sobrevêm de novo.

Precauções necessárias para acalmar a agitação dos humores, diminuir a sensibilidade dos nervos, que são as duas causas imediatas de toda a Erotomania. 1. Por remédios refrigerantes, e adoçantes, como sangrias, sanguessugas, purgativos antiplogísticos, banhos frios, leite misturaio com chá de Golfães e as emulsões das quatro sementes frias. (...)"

in
Dias, Manuel, 1989, Exorcismos e Feitiços da Medicina Popular, Mem Martins: Europa-América.



<< Home