O Porto, essa nação

Alguém conhece um software elegante para eu postar as minhas sugestões de 11? O Jesualdo precisa de ajuda e segundo percebo o Blogger não está equipado para croquis futebolísticos. Ao assistir aos naufrágios recentes, dou por mim a errar entre as larachas depressivo-contemplativas e o papel de militante engajado, são assim estes dias em que Sartre visita a alma do adepto portista (alguns inspiram-se em Fanon e daí as pedras).

Conselhos rápidos a Jesualdo Ferreira:

1- Isto chegou a um ponto em que somos obrigados a reconhecer que Fucile é de longe o melhor lateral do Porto (sim, eu sei). Pensei que fosse óbvio (mas não, cheguei a vê-lo no banco com Sapunaru e Benitez em campo).
2- Isto chegou a um tal ponto em que somos obrigados a reconhecer que Tarik é o melhor extremo do Porto, portanto, mesmo quando come a más horas, é indiscutível em qualquer desenho de 4-3-3 (aliás, sugiro que coloquem o Mariano sob um rigoroso e ininterrupto Ramadão, algures numa cave da cidade, durante o tempo que durar o contrato).
3-Para o meio campo vislumbro três soluções. No entanto, mais importante que a valia da solução escolhida seria a cristalização de uma opção com margem de consolidação. No absurdo, um meio campo que integrasse de forma consistente o inenarrável Bollati tinha maior margem de sucesso do que a lotaria com que Jesualdo tem preenchido a linha média. Mantendo o 4-3-3, as minhas opções são (a ideia, repito, é escolher uma delas): Hipótese 1: Pelé-Meireles-Lucho; Hipótese 2: Meireles-Tomás Costa-Lucho; Hipótese 3: Meireles-Rodriguez-Lucho.
4- Como terão reparado, na terceira hipótese do item anterior alvitro Rodriguez a 8, hipótese que Freitas Lobo avançava a medo no domingo. Não há que ter medo, amigo. Na verdade, Rodriguez nunca será um extremo e essa asserção está largamente dramatizada pelo facto de alguém no Porto se ter esquecido de fazer a honras: "Linha de fundo, apresento-te o Rodriguez. Rodriguez, a linha de fundo; Rodriguez isto é aquilo que nós chamamos um Drible, Drible, isto é aquilo a que nós chamamos a um Rodriguez." Rodriguez poderia jogar no losango de Paulo Bento como médio interior esquerdo e poderá jogar como médio esquerdo num eventual 4-4-2 clássico que Jesualdo venha a adoptar, mas num 4-3-3 simplesmente não tem lugar como avançado. Portanto, não sem comoção, imagino Rodriguez a fazer o mesmo trajecto que Maniche percorreu desde médio esquerdo do Benfica até 8 do Porto, um precedente peregrino a ter em conta; para ex-benfiquistas com elevada intensidade de jogo Deus é melhor na zona do 8.
5- Nunca vi uma equipa aproveitar tão mal as bolas paradas ofensivas (Octávio não é para aqui chamado). Devia ser mecanizado com Bruno Alves aquilo que Mourinho fez, primeiro com Costinha e depois com Terry, na sistemática colocação da bola ao poste mais distante onde sita o trunfo aéreo: rebound, golo, creio que não preciso explicar mais.

(Alguém que saiba o mail do Jesualdo, é carregar no envelope que fecha o post)



<< Home