Monotonia narcísica

Percentagem significativa da minha blogosfera resolveu entrar em serviços mínimos. Tudo bem, as pessoas têm as sua vidas e não estou inteiramente contra, mas fico preocupado, por mim, claro. Quase nem precisaria de adulterar o bom do Foucault para lembrar o quanto dependemos da intertextualidade, mas até preciso (as muletas intelectuais são uma forma de vulgaridade quase tão boa como a estética mundano-despretensiosa): há mais posts sobre posts do que sobre outra coisa qualquer. A continuar assim vou ter que começar a escrever sobre o mundo real ou sobre os episódios marcantes da minha existência. E, sinceramente, para isso já há O JOGO.



<< Home