Direito de reserva

Com tanto por onde criticar a governamentalização da RTP, Agostinho Branquinho, deputado do PSD, preferiu escandalizar-se com a contratualização de serviços da RTP a produtoras externas; pretexto, claro, para lançar uma atoarda ao facto de uma produtora ter recorrido aos serviços da Fernanda Câncio. Na cabeça de Agostinho Branquinho "isto está tudo ligado". Por muito que estas conspirações de oportunidade sejam de lamentar, passeando por aí, pelas reacções, congratulo-me por perceber que este tipo de insinuações não tem o acolhimento que alguns ultramontanos desejariam: porque o profissionalismo da Fernanda Câncio responde por ela, porque este vício de colocarem o arbítrio das mulheres sob a tutela de alguma figura masculina já vai cansando, porque a reserva da intimidade é um direito tão elementar como o da sua celebração pública, porque eu gosto muito da rapariga.



<< Home