As forças

A explicação de António Vitorino é a minha favorita. Disse com todas as letras que um referendo em Portugal iria alimentar as forças que na Europa não querem o Tratado. Melhor deixá-las à míngua, as forças, pois, que isto da democracia às vezes ganha uma vontade própria e vai por aí. Danadas. António Vitorino com as forças não brinca desde aquela situação na cantina da faculdade. Agora é um comentador versátil que dá uma perninha na política, mas sempre, sempre, com muito cuidado com as forças. As forças são o grande berbicacho do século, ai se são. Há outros, mas as forças, essas sim, podem por tudo a perder. Melhor nem dizer água vai.
Caralho com as forças que aquilo ficou jeitoso.



<< Home