Biografia: campo de batalha

Na interessante entrevista que concedeu ao Expresso, Vasco Pulido Valente, às respostas tantas, confessa alguma mágoa pelo modo como Maria Filomena Mónica o retratou em Bilhete de Identidade, concretamente por não ter havido da parte desta o devido cuidado de reserva em relação a factos do foro privado (no que, tendo lido a referida autobiografia, sou instado a concordar).

Umas linhas abaixo, VPV fala do seu próximo projecto: nada mais nada menos do que a biografia de Eça de Queiroz. Conhecidos os méritos de VPV nesse registo, fico algo curioso em saber que efeito essa obra terá sobre uma outra biografia de Eça, publicada em 2001:



<< Home