O bode expiatório

Houve no entanto uma coisa que me desagradou naquela história do murro. Scolari, já na flash interview, a estourar de adrenalina e carregando a felicidade de se perceber ainda em posse do jeito juvenil (para a porrada, entenda-se), justificou a sua agressão com a necessidade de defender o Quaresma. Ora, como sabemos, nem o Quaresma é uma criança vulnerável, nem consta que estivesse em grandes dificuldades. Essa justificação de Scolari, armado em cavaleiro andante, foi para mim o facto censurável, porque cobarde. Tanto mais que a cena que eu queria ver era exactamente aquela em que Quaresma se virava ao Felipão em franco momento de desagravo. Isso era ontem, agora que todos lhe mandam pedras, falar mal de Scolari deixou de me interessar.



<< Home