Fernando Santo

Ando aqui a trabalhar num puzzle com estes três termos: 1- Fernando Santos; 2- Poder de encaixe; 3- justiça divina.

1- O primeiro puzzle que montei remete para a tese de que o Fernando Santos é uma boa pessoa com um excelente poder de encaixe porque acredita que a justiça divina irá agraciar pela seu bom carácter, apesar das más companhias (acho que acredito neste).

2- O Segundo que montei desenha a ideia de que o Fernando Santos tem um excelente poder de encaixe, mas é uma boa pessoa apenas em aparência. Ou seja, ele acredita no lado positivo da justiça divina, que se ele se portar bem sim senhor ainda terá a sua compensa, mas também no lado negativo da justiça divina, qualquer coisa como isto: "porque é que eu vou estar a maçar-me a mandá-lo à merda se "Aquele que tudo julga", daqui a uns dias, arranja algum expediente criativo para gulosas formigas lhe saírem pela boca." Neste caso Fernando Santos já não seria uma boa pessoa, mas uma pessoa sábia a gerir o seu dispêndio de energia em função de uma economia mais ampla: no fundo acredita que alguém tratará da saúde aos seus carrascos e mais vale ir para Fátima aproveitar o que resta de Agosto.

3- O terceiro Puzzle substancia a ideia que Fernando Santos não tem maturidade moral para perceber um mau carácter nem quando o vê a passar férias com o treinador que o viria substituir. Este ajuntamento de peças faz supor que Fernando Santos acredita que, quando foi despedido, o Benfica ainda não tinha treinador "apalavrado" e que tanto podia ter vindo o Camacho como o Mário Wilson. A ser assim Fernando Santos será aquilo que em psicologia infantil se chama um inimputável às avessas: não tem discernimento para distinguir o mal nos outros.

Não sei qual das teses tem mais compleição de verdade, mas Fernando Santos é impressivo na sedimentada convicção de que não haverá muitas pessoas assim:
1- Num debate sobre o aborto, contra qualquer calculismo político, afirme compungido, pedindo desculpas a quem discorda, que os seus valores o levam a defender a vida em qualquer circunstância e que, portanto, não só é pelo "não" como é contrário, por defeito, à lei actual (a que vigorava antes do referendo). Por ele não deveria haver quaisquer excepções.
2- Nunca tenha mandado à merda os adeptos do Benfica que o acenavam com lenços brancos enquanto ele fazia milagres num plantel onde pontuavam Manu e Paulo Jorge.
3- Nunca tenha contradito Mantorras que a certa altura se veio queixar que podia jogar 90 minutos (Camacho já disse que ele só volta quando acabar a sua "recuperação especial")
4- Não tenha batido com a porta quando lhe venderam o Manuel Fernandes um dia antes da pré-eliminatória da Liga dos Campeões.
5- Tenha vivido em silêncio o pesadelo de lhe venderem o Simão abaixo da cláusula, conforme prometeram que jamais fariam.
6- Nunca se tenha queixado das ausência de José Veiga que, disse-o mais tarde, era o único que defendia o balneário da estrutura do Benfica
7- Tenha consentido que os comentadores do trio de ataque lhe fizessem perguntas e o interrompessem cada vez que ele balbuciava uma palavra para poderem tentar adivinhar de forma estruturada as várias hipóteses de resposta a partir da primeira sílaba da resposta.
8- Ainda se afirme benfiquista



<< Home