Salman Rushdie

Concordo com quase tudo que o Eduardo Pitta escreve sobre a recente sagração de Salman Rushdie como Cavaleiro de Sua Majestade. Apenas a conclusão me parece tardia: há muito que estamos conversados sobre quem se dobra às sentenças de Khomeini. No entanto há uma parte no texto que me deixa com mixed feelings: "A fatwa destroçou a sua vida pessoal, obrigando-o a viver escondido durante nove anos, entre 1989 e 1998, sob protecção dos serviços secretos britânicos. Uma das consequências dessa reclusão foi ter sido abandonado pela segunda mulher, a escritora Marianne Wiggins." Não brinco com o horror de ter a vida a soldo. Apenas tenho dificuldade em acompanhar a compaixão solidária naquela parte em que o Eduardo Pitta lembra que Rushdie foi abandonado pela segunda mulher. Veja-se Padma Lakshmi, a 4ª esposa do Cavaleiro:



<< Home