Mas

A 6 de Novembro de 2006, José Pacheco Pereira anunciava lapidar:
«CONTRA A PENA DE MORTE: logo contra a execução de Saddam. Sem nenhum "mas"»

Experimentem ler a crónica assinada por JPP hoje no público (link só para assinantes) (integral no abrupto). Tal é a desfaçatez do exercício de "mas" ali ensaiado que podemos questionar se a pirataria não terá chegado ao jornal. Andará algum ghost writer a brincar com os solenes princípios de JPP ou dá-se o caso de ser o próprio?



<< Home