A estupidez da prova de acesso à nacionalidade

"pode-se ser português e analfabeto mas não se pode passar a ser português se se for analfabeto?"

Há continuidades históricas que deviam fazer pensar:

"Mas, enquanto em Portugal, em 1930, 70 em cada 100 em portugueses eram analfabetos, aos indígenas exigia-se que soubessem ler, escrever e falar com correcção a língua portuguesa para serem considerados assimilados." in Serra (org.), 2000, História de Moçambique



<< Home