Perguntar não ofende

Um ano e 365 posts depois o Perguntar Não Ofende fecha as portas. Era um lugar muito do meu agrado. A dúvida assim exercitada na visitação de referências mundanas convidava a que, não sem insólito, nos cruzássemos com uma panóplia de minudências quotidianas e culturais, mundos de entaramelado sentido prosaico, que de outro modo se preservariam alegremente fora do texto; de qualquer texto. Até mais, Ricardo.



<< Home