Tensões criativas

O Miguel Marujo tem uma rúbrica: "não deixes que a coerência te estrague um bom post".
Tentando adivinhar algumas variantes nos dilemas editoriais, aqui vão alguns conselhos afins:

"não deixes que um bom post estrague o ambiente lá em casa"
"não deixes que um bom post dê a perceber à tua mãe que és um ser sexuado"
"não deixes que a política te afaste de quem gostas de ler"
"não deixes que um bom post denuncie à tua ex-namorada que voltaste ao activo"
"não deixes que as manias intelectuais espantem as massas e molestem o sitemeter"
"não deixes que os posts pop te façam cair em desgraça ante os intelectuais"
"não deixes que as tuas convicções estraguem um bom post"
"não deixes que um bom post mal-expresse as tuas convicções"
"não deixes que um bom post exagere da tua mundanidade"
"não deixes que o teu clubismo te antagonize com os preciosos leitores portistas"
"não deixes que um bom post te corte a bebedeira"
"não acabes com o blog porque apanhaste uma tampa e estás de mal com o mundo"
"não deixes que um bom post estrague as tuas hipóteses com a Liliana Santos"
"não deixes que um bom post te hipoteque um emprego como revisor de texto do José Manuel Fernandes"
"não deixes que os azares ao amor perturbem a tua influência política em tempo de guerra"

Sendo este um exercício especulativo, fico, curioso, à espera -- naturalmente sentado -- de contribuições pessoalmente informadas por esses blogs afora.



<< Home