Resposta

Tiago É óbvio que a minha pergunta se dirigia para os actores geopolíticos no conflito, o eixo da política interna e as opiniões do BE e do PCP, tanto quanto sei, até à data, não têm interferido dramaticamente no curso das hostilidades. Segundo, de facto não concordo com essas recusas passionais do PCP e do BE que bem citas, e nos termos em que surgem parecem-me sinceramente disparatadas. Mas concordo com a substância, ou seja, se eu me chamasse Luís Amado (esse insigne apoiante da invasiva americano no Iraque) a participação portuguesa numa força internacional de paz no sul do Líbano estaria condicionada a um compromisso de colocação de forças de interposição de paz nos territórios que Israel mantém ocupados. São as tais soluções holistas. Abraço.



<< Home