Escolhas parentais

Imagino que seja difícil aos pais de hoje gizarem um compromisso entre liberdade e alguma ideia mais consistente de educação. Por um lado, porque o autoritarismo paternal se encosta muitas vezes a um desejo de controlo obsessivo e mutilador, por outro, porque os apelos tardo-capitalistas, consumistas, estruturantes da cultura de massas, cada vez têm mais linha directa com os petizes.

Falava no outro dia uma mãe que, em prol de uma formação mais equilibrada, não permitia à filha de 6 anos ver os Morangos com Açúcar e nem pensar levá-la ao concerto dos D´zrt (aparte: consta que os "músicos" ameaçaram cancelar os concertos se as músicas continuassem a ser pirateadas, está visto que a pirataria pode cumprir os mais nobres propósitos). Não consegui deixar de ver nisto algum despotismo, mas por outro lado...



<< Home