Do mal de Vila-Matas

"Sei que não devo esquecer que no fundo sempre quis sempre dizer adeus ao amor na vida e nos romances. Tudo perder menos a solidão e continuar. Terminava um livro e começava outro, continuando sempre. Perder tudo menos a solidão. E ter aprumo e dignidade e não chorar, justificar-me perante a morte com uma obra bem feita, levar a infeliz vida irrepreensível de um homem enganado."

Vila-Matas



<< Home