Reprodução Medicamente Assistida

Eu que até nem viro cara discusão sobre a vida, eu que, ao contrário de outras vozes contestatárias, defendo intransigentemente a despenalização do aborto ao mesmo tempo que recuso a celebração da propriedade da barriga -- como se isso fechasse a questão --, sempre encontro nos movimentos pró-vida uma inestimável orientação apriorista da minha conduta política e da minha reflexão sócio-filosófica. A existência do movimento pró-vida é uma dádiva à certeza.
Basta falar uma senhora orgulhosamente fértil e bem casada, oxigenada, sócia da associação de famílias numerosas, militante na causa das mulheres em acção pela erradicação desse homicídio quotidiano que é pílula do dia seguinte (vão ao site que merece), as relações sexuais não procriativas, o preservativo e, já agora, a masturbação, e a minha posição está tomada. Antes falhasse. Ao pé delas Sócrates é um tipo de esquerda.



<< Home