Porto

Numa esquina da cidade do Porto uma rapariga recebe uma sms e detém a marcha. Ao ler o ecrã do telemóvel a transeunte sorri efusiva, cora, quase chorando, e reninicia-se no caminho com a felicidade estampada no bolinar das ancas. Não sei que combinação de palavras produziu tal efeito, em todo o caso aqui ficam os meus parabéns ao autor da sms pela sua capacidade de agir sobre o real. Seriam umas 20:15 h e ela caminhava para os lados do Campo Alegre. Tirei o telemóvel do bolso e tentei fazer algo parecido. Não sei com que sucesso.

P.S. Daqui endosso um grato abraço ao Tiago Barbosa Ribeiro a quem tive ontem a graça de conhecer. Depois de tanto concordarmos em cúmplice gesta de dizeres, iamo-nos pegando numa acalorada discussão (exagero em abono do efeito dramático). Sinal de amizade súbita e testemunho de mais um encontro fascinante indirectamente germinado pelas lides da bloga. Ao Tiago eu só não chamo "senhor" (com a devida entoação do norte) pela idade que traz. Uma obscenidade.



<< Home