Suplício

Se de cada vez que o CoAdriaanse fizer uma substituição -- ou der sinais de existência -- eu lhe chamar "filho de uma grandessíssima geisha" estou a ser conceptualmente incorrecto, etnocêntrico ou apenas bem intencionado?



<< Home