A adorada transcendência da economia capitalista

"O paradigma está a mudar. É superior à vontade dos homens."
[Miguel Horta e Costa em entrevista ao Diário Económico, 27 de Março]


A crença na economia enquanto divina poucas vezes foi expressa com tamanha desfaçatez Ela está para lá dos homens e suas possibilidades, acreditam. Os desempregos provocados pela deslocalização das empresas e a crescente injustiça na distribuição da riqueza serão, para aquelas cabeças luzidias, meras epifanias: manifestações colaterais do sagrado neoliberalismo. Hegel, volta, estás perdoado.



<< Home