Chelsea: 1 Barcelona: 2

Como qualquer profeta cuja mensagem sobreleva o martírio, perpetuando-se na história, assim o génio de Mourinho se escarnece da derrota, coreagrafando uma assunção. Não gosto de interferir com os assuntos da igreja, mas a canonização imediata deste homem é, desde há muito, um imperativo moral.

Se eu não fosse um tipo de esquerda atrevia-me a dizer que aqueles senhores que ontem se espraiaram por Stanford Bridge merecem cada cêntimo que ganham. Contenho-me.



<< Home