Psicanálise da palavra

Insigne Tiago (actor desencarnado desse belo paradoxo: deprimido exuberante, fracassado eufórico, obessivamente carente), a culpa dos trabalhos acrescidos a que este blog às vezes obriga não é bem minha, a culpa é dos ecos que me dou a repetir esquecido das origens.

Mais a sério: com a tua perplexidade dei por mim exercitar hipóteses, até que ficou esta: que a minha memória jamais se atreveria a essa palavra rebuscada não fosse um verso ido de Borges:
e a noite que nos livra da maior angústia:
a prolixidade do real.
(A noite em que o velaram do Sul)
Lembras-te António?



<< Home