Das ruas nascida

No outro dia, sentado na paragem de autocarro - inspecção a quanto obrigas - fiquei com as sobras da conversa de dois tipos que por ali passaram. Sobrou esta frase que é todo um tratado sobre o primado da sexualidade ante a linguagem:
"É fácil falar com os tomates vazios"
Note-se que o transeunte não reduzia a sua análise a uma questão de centilitros, como se a relação dos testículos com as medidas de capacidade fora decisiva. Em causa estava, outrossim, podemos deduzir, o processo de esvaziamento dos testículos: a ejaculação aparece metonimicamente ligada à nobreza do convívio sexual que, adivinhavelmente, lhe escapava. O seu interlocutor, para quem aparentemente o convívio sexual vinha sendo generoso, estaria, portanto, capaz de uma discursividade menos marcada pelas carências da carne. Um luxo de oratória. Mas, como sabemos, há constrangimentos que são criativamente constitutivos da palavra que nasce. Foi o caso.



<< Home