Reflexões paternais

Mil vezes repetia a lição. O meu professor da Primária. Dizia. Nós, como os animais, nascemos, crescemos, reproduzimo-nos e morremos. No outro dia, ao lembrar esta ensinança que tanto visitou a minha infância, percebi tudo. A falta de instinto paternal que me acomete, tal como sede de prole que a outros assola, também pode ser psicanaliticamente explicável por uma aspiração à eternidade.



<< Home