Mails

Ao princípio surgiu a assinatura do email. Alguns elementos, poucos, contendo contactos e informaçãoes passaram a seguir no posfácio de cada mensagem. Muito útil para quem usa o email nas lides profissionais, suponho. Tudo bem. Percebo. No entanto, essa inventona comunicacional começa a assumir contornos caricatos. Reparem como essa assinatura se está a converter, paulatinamente, num autêntico Curriculum Vitae. Recebemos um email, lemos a mensagem e depois somos brindados com o extenso memorando de prestígio sócio-profisional do remetente. O hábito é tão generalizado que nem adianta criticar. Terá a sua utilidade para lógicas em que a respeitabilidade curricular seja um capital e quem não se conforma está lixado. Mas... Não sei... Eu assino sempre "Bruno". Não é por uma questão de princípio ou low profille senão uma de exactidão.



<< Home