Amor filial

Sou maluco por galões. Nestes tempos veranis dou por mim s ansiar que o sol capitule para recuperar esse prazer Outono-Inverno de um galão quentinho, escuro e com muita espuma. Hoje o verão vacilou e lá estava eu em franca esplanada a beber um galãozinho espumoso. Nas redondezas da minha mesa estava um pai conversando amorosamente com a sua filha, rapariga discreta que andaria pelos 20's. Num registo marcadamente delicodoce falam de banalidades, brincam, trocam beijos e carinhos. "Ó pai vê lá se te livras desse tijolo e compras um telemóvel de jeito!" "sabes que o pai é antiquado e com tanto telemóve xpto para aí este tijolo até tem o seu charme de velharia". E assim seguiam debruçando-se sobre prosaiquices em conversas carinhosamente entoadas. Incapaz de me deter no romance que fingia ler, tudo isto segui meio atónito, meio encantado. Linha ténue. Pais e filhas deste país, se aquilo não era incesto, que vos sirva de exemplo.



<< Home