As luzes da cidade


Não nos liga o amor, mas sim o espanto;
Será por isso que eu a amo tanto.
(Borges).

Enganamo-no se julgamos que o frémito do encanto se vincula à experiência do encontro iniciático. A redescoberta do ardor pode ser igualmente desconcertante.
Há muito que aquela frase de Borges jaz no meu relicário. Mas nunca tinha encontrado uma imagem que lhe fizesse tamanha justiça. -- Aliás, já. Mas isso não conta como imagem. -- Chaplin, as luzes da cidade, está lá mesmo tudo.



<< Home