Mails perdidos

Abro o email e deparo-me com um estranho evento. Não, desta vez ninguém se propôs a ampliar o tamanho do meu pénis, coisa que até já se vai tornando corriqueira naqueles meandros. Algo de virginalmente inesperado sucedeu.

O endereço de email que uso com maior assiduidade desde há anos é malangatana@yahoo.com. Aquando do registo no yahoo, farto de ver recusado tudo o que se parecesse com o meu nome -- atrozmente banal, percebi aí -- lembrei-me de malangatana, um carinhoso moto com que a minha mãe me chamava em criança, segundo recordo. Ma-lan-ga-ta-na, doce conjunto de fonemas iterados no "a" e que por acaso -- ou não -- compõem o nome do afamado pintor moçambicano. Aqui está o busílis. É que eu recebi hoje um mail quer era dirigido ao pintor. O remetente é um amigo de longa data que lhe escreve do outro lado do Atlântico. Só percebi o equívoco no final. Tarde demais. Nenhuma inconfidência. Ainda assim, senti-me intruso na minha própria caixa de correio. Queria tentar reenviar o mail ao Malangatana. Mas não conheço o seu contacto. Se por acaso alguém souber seria um belo gesto confiar-mo. Até porque fico curioso. Se há uma hipótese mística nestas coisas -- lembro uma história das Mil e uma Noites -- o mais certo é ele ter eleito o meu nome para uso virtual, algo como brunomartins@.... Será que o Malangatana anda a receber os mails de amor que me são devidos? Será que é daí lhe vem a inspiração? Isso explicava muita coisa. Temo bem.



<< Home