Padre Nuno Serras Pereira: um homem coerente

Em relação ao "Padre recusa dar comunhão aos católicos que usam métodos contraceptivos", exige-se uma palavra. Sei bem que esta atitude extremista é partilhada por pouquíssimos párocos e católicos em geral. No entanto, talvez seja perversidade minha, mas gosto quando surge alguém que é consequente com as orientações sobre-estabelecidas. A questão provocativa é pensar que talvez este padre esteja estar a ser coerente com aquelas que são as determinaçoões católicas em relação aos contraceptivos. Farto-me da condescendência dos que defendem que as práticas de base são muito diferentes das leis de cima, e que assim deve ser, que assim está muito bem, o povo está sereno. Haja coerência. Seria absolutamente atroz, mas apetece-me questionar a título de exemplo como seria se, como determina a lei, uma mulher fosse para o cárcere por ter abortado clandestinamente? E, afinal, não seria isto o mais coerente com a lei que temos? Cumpra-se ou mude-se! Talvez precisemos de mais pessoas coerentes e consequentes como o padre Nuno Serras Pereira para tornar límpido o absurdo.



<< Home