Finalmente: O Insullto


Porque me preocupa o politicamente correcto, porque estou atento aos sinais, até aos mais compreensivelmente envergonhados, devo dizer que este post não tem quaisquer pretensões estéticas, sensuais e eróticas em torno do corpo da Salma Hayek. Barbaridade impensável. Isso poderia ser uma ignóbil forma de sexismo. Um corpo bonito e desejável é ofensivo, a sua exposição, assim num blog, poderia representar uma atitude predatória insuportável. Posto isto, devo dizer que, apesar de possíveis efeitos colaterais, este post tem apenas uma função discursiva, o seu único fito é perturbar, ainda mais, quem possa ter vilipendiado a evocação pictórica feita no post sobre as "mamas do antigamente", chamando-me sexista. Será uma minoria insignificante, certamente ninguém que eu preze pela coerência das suas credenciais feministas - essas admiráveis gentes andam muito descomplexadas por estes dias -, certamente ninguém que merecesse este espaço, mas, vá lá, dêem-me este gostinho, o gostinho de produzir um insulto que, dentro ou fora da cultura do simulacro (aka, silicone), decerto ficará registado pela doçura das suas formas.



<< Home