Zara

Os sociólogos de cartilha - não conheço nenhum - são obcecados por classes sociais. Tudo se resume à divisão de classes. Pois, para eles esta seria uma boa altura para ver como as classes sociais se revelam numa interessante prática sazonal. Aconselho as multinacionais de roupa. É simples. A disposição da roupa nesta fase do ano tende a demarcar públicos. Umas meninas perscrutam já as pérolas da nova colecção. Outras, respigadoras natas, exploram ainda as últimas peças dos saldos. A hegemonia que mantém o status quo é produzida pela ideia que um dia a nova colecção estará apreços de saldo. Assim se evita a revolta social dos respigadores.

Como nada percebo dessas coisas de classe prefiro a zona dos mostradores. Reparo como as namoradas fazem frequentemente de "correio de roupa". Observo como, às vezes, quando há uma dúvida na cor ou no número, elas entram para se acertarem os pormenores lá dentro. E tudo se esclarece.
- "Amas-me?"
- "Se tu deixares"



<< Home