Seio na noite


Foto: Christian Coigny Fonte: xupacabras
Ela estabeleceu como regra de vida evitar olhar para decotes sobre os quais tudo desconhece. E aguenta-se. Não quer conhecer novas pessoas, respiga as memórias dos leitos em que adormeceu. É fiel às mulheres que já teve. No fundo acredita na escatologia lesbo-feminista dos Baha'i: há um conjunto de mulheres que ao longo da história trazem toda a verdade de Deus. Ela crê de amor que foram aquelas mesmas que um dia a viram dormir. Aquelas que beijou e mordeu. Aquelas que lambeu pelas frinchas da pele. Aquelas cujos seios apertou contra os seus.

Explicou-me: o falo não faz falta, o que dói é não ter o seio na noite. Sem o quentinho de uma mama por perto é frágil a mais divina das verdades. Os decotes é vê-los passar num tentado alheamento. Por fidelidade. Por fé.



<< Home