Já podes gritar: os melhores do mundo

Agora já podemos dizê-lo com propriedade. Não, não é uma hipérbole provocavita para sublinhar a grandeza de um clube, de uma equipa. É que somos mesmo os melhores do mundo.
World Champions
Notas curtas:
Durante 70 minutos vi um Maniche que muitos temiam já não existir. Este rapaz dos primeiros 70 minutos é um dos melhores jogadores do Mundo. Mereceu o carro sim senhor.
Diego muito apagado, a construção de jogo esteve quase exclusivamente nos pés de Maniche
Baía, teve uma taquicárdia. Impressionante o esforço que fez para ficar em campo, como que pedindo desculpa ao médico lá ia dizendo "não sei o que se passa, pá!"
Fernandez portou-se com mestria. O precalço da substituição de Baía não teve piores consequências porque, por regra, Fernandez nunca faz as três substituições numa final. Senão teria sido Costinha o guarda-redes do Porto no resto do prolongamento.
A irreverência juvenil do Carlos Alberto às vezes irrita - quando se põe a fintar só pelo gozo - como delicia. Juntamente com Maniche é o mais bem humurado e o animador de serviço da equipa Porto, ele é o homem do pandeiro. Quando recebeu a medalha foi lindo vê-lo deixar-se de formalidades para beijar os insignes representatnes da Fifa.
Obviamente tremi quando vi Jorge Costa partir para a bola. Qual o quê? Penalti no cantinho.
É bom que os escultores portugueses comecem a fazer esboços. Jorge Costa e Baía são uma instituição.



<< Home