Da inutilidade das palavras


Pelos telejornais percebemos o quanto difere o valor da vida de um europeu/ocidental da vida de um nativo das margens do Índico. A certa altura parecia que só os turistas eram vítimas significativas. O resto, claro, apenas uma ligeira variação do costume da pobreza: a desgraça de sempre.



<< Home