Sleeping Dictionary


Não é, nem por sombras um filme brilhante. Mas é bem interessante, pela ambiência, pela história, por Jessica Alba. Conta a história de um aministrador colonial inglês e do seu sleeping dictionary, a nativa que, seguindo uma tradição, lhe ensinaria a língua e daria cobro às suas necessidades sexuais. A coisa ganhou outros contornos. Neste caso pelo aparecimento do amor, recapitula-se a ideia de Homi Bhabha, a ideia que na relação colonial o opressor sofre da ansiedade de nunca conseguir fazer do outro um objecto totalmente conforme o seu discurso. A missão civilizatória, a propalada necessidade de transformar o colonizado por padrões superiores tem sempre como segredo a inevitável transformação do colonizador: a desqualificação do nativo não apaga a atracção que ele exerce nem tão pouco o poder que dele emana. Reduzir o poder de atracção do outro à sexualidade das nativas é uma mentira que não se segura. Mas, sinceramente, acho que quis falar deste filme mais como pretexto para esta foto. Dois corpos que adormecem.



<< Home