Sofrimentos clandestinos


Paula Rego
"Se eu faço uma mulher a ter um aborto, não a ponho com pernas cruzadas, não tem verdade nenhuma. Tem de ser com as pernas abertas, mas tento sempre ser o mais discreta possível e dar dignidade à pessoa. Aquelas mulheres que estão a fazer abortos não são de maneira nenhuma vítimas, são pessoas com dignidade que estão a passar um mau bocado por causa de uma lei estúpida que existe no País".



<< Home