"Fragmentos de um evangelho apócrifo"

50. Felizes os amados e os amantes e os que podem prescindir do amor

Jorge Luis Borges, Elogio da Sombra

Para não falar dos primeiros, de que, manifestamente, conheço pouco, quero ater-me à outra escola: "Felizes dos que podem prescindir do amor". Desgraçadamente, também destes pouco sei. Sei se que os invejo. Às vezes. Certamente menos do que seria desejável para ser um deles.



<< Home