Balneários

Sou frequentador de balneários há muitos anos. A culpa é sobretudo do futebol. Ao longo dos anos fui dando conta de como as "piadas de balneário" foram ficando fora de tempo. Anacrónicas, pois. Despindo-me, qual etnógrafo, posso dizer que essas piadas estão intimamente vinculadas com de desígnio de afirmação da masculinidade, quer com a afirmação da superioridade masculina pela feminização do outro, quer com a necessidade de exorcizar o "perigoso" homoerotismo a advir da proximidade de corpos nus. A piada mais célebre é sem dúvida aquela que envolve o sabonete. A sua versão mais popularizada envolve um texto acerca das eventuais consequências de se apanhar o sabonete que caiu no chão. Até aqui nada de novo. A questão para que vos quero chamar a atenção é que já ninguém usa sabonete no balneário! Primeiro porque a maioria se basta com o champoo, depois porque os sabonetes líquidos se popularizaram e são muito mais práticos de pôr na mochila - eu gosto particularmente do Vasenol Amêndoas e Mel. Que tenham necessidade de reiterar a masculinidade por esses balneários afora é algo que me enternece, mas, por favor, actualizem-se.

p.s. Conheço pouco sobre os balneários femininos. Se houver aí utilizadoras partilhem notas de campo sobre esta realidade ainda tão pouco conhecida.



<< Home